22 de agosto de 2011

Mulheres e mães participando da política

Nossa presidenta é uma mulher. Mas, isso não torna, automaticamente, as coisas mais fáceis para quem é mulher e quer ter atuação política. Nosso povo brasileiro ainda tem (temos) uma visão equivocada de que política é coisa de profissionais, daqueles que estão lá em Brasília, ou nas Câmaras Municipais, Estaduais, nas prefeituras, no palácio de governo estadual...
Nada disso! Nós mulheres e mães fazemos política também, com mochilinhas cheias de brinquedos roupas e comidas num braço, bebê debaixo do outro.
Neste final de semana aconteceram muitas conferências municipais de Políticas Públicas para Mulheres. Uma delas foi em Dourados/MS e eu, Stella Zanchett, estive representando - inclusive - a Parto do Princípio. Foi bem legal, porque tanta era a minha vontade de participar do Grupo de Trabalho sobre Saúde da Mulher que me colocaram para coordenar as discussões do grupo! Abrimos o debate e logo no início foram expostas as questões sobre detecção e tratamento de câncer de colo do útero e de mama. Após redigir propostas neste sentido, o assunto caiu, naturalmente, em assistência ao parto.
Lógico, onde tem mulher, tem histórias de partos. Infelizmente, ainda são muitas histórias de partos desrespeitosos. Todo o grupo se comoveu com o relato de uma companheira que, depois de 14 horas de TP, foi submetida a uma episiotomia. Depois de 40 minutos, o médico "diagnosticou" que teria que ser cesária "porque o bebê estava demorando pra sair". "Eu não ia deixar ele me fazer dois cortes", disse ela. A bebê nasceu de parto (a)normal.
Depois dessa triste história, nosso grupo enfatizou a importância de haver políticas de humanização no atendimento e que haja campanhas de divulgação, tanto para as gestantes quanto para os e as profissionais de saúde, que combatam episiotomia e ocitocina de rotina, uso de manobra de kristeller, entre outros...
Muitas outras pautas da Parto do Princípio foram aprovadas e constarão no Plano Municipal de Políticas para Mulheres da minha cidade. Outras serão levadas para a Conferência Estadual e para a Nacional. Isso gera uma satisfação enorme! É a nossa luta ganhando corpo!

Outro relato bacana é o da Marília. Olha um trechinho:
Fica o meu incentivo para quem está pensando em participar ou não da Conferência no seu município. Participem! É uma experiência que muda sua maneira de pensar como cidadã. Eu que me achava super engajada com várias coisas percebi que tem muita coisa para ser feita! E pouca gente disposta a fazer. Mesmo sem papéis caneta e prancheta. Vá. Você tem poder de voz! Mesmo quem está como observadora pode participar. Só não vai votar, mas pode ajudar a elaborar melhor as propostas.


2 comentários:

Flavia Penido disse...

Que bacana ver a Parto do Principio atuando nas conferências municipais. Firma lugar nas pautas de saude da mulher é um grande passo.
Parabéns Stella.
Parabéns Parto do Princípio.

Dama de Cinzas disse...

Obrigada pela visita!

Beijocas