7 de novembro de 2010

Isea humaniza atendimento e gestantes vão poder escolher acompanhantes.

O Isea (Instituto de Saúde Elpídio de Almeida) da Prefeitura de Campina Grande vem implantando, sob a orientação do Ministério da Saúde, medidas que visam à humanização do atendimento das pacientes da maternidade e a partir do próximo mês, as mulheres poderão escolher os seus acompanhantes, inclusive os companheiros, para permanecer com elas antes, durante e depois do parto. O apoio emocional de um acompanhante, conforme comprovação científica, é eficaz para a mulher suportar as dores e a tensão nos momentos que antecedem o parto.

Quando a própria paciente permite o acompanhamento de algum familiar, ela costuma ficar menos tensa. E para incentivar esta participação, o acompanhante receberá informações e orientações dos profissionais de saúde para que conheça os procedimentos adotados e assim, possa deixar a paciente mais tranquila. “Para estimular essa participação, já estamos trabalhando essa conscientização durante o pré-natal”, explicou o diretor administrativo do Isea, Eduardo Galdino.
Ainda dentro do que preconiza o Ministério da Saúde para a humanização do atendimento, no projeto de reforma e ampliação do Isea, que está em andamento, a maternidade está construindo o Centro de Parto Normal, com seis modernas suítes de PPP (Pré-Parto, Parto e Pós-Parto). Com ele, a sala de pré-parto e a sala de parto serão unificadas, permitindo que a mulher tenham um acompanhante da sua família, escolhido por ela, e com total privacidade.
Assim, vai eliminar a necessidade de transferência da mulher da sala de pré-parto para a sala de parto, melhorando as condições para as gestantes e para os recém-nascidos, que somente depois do parto serão transferidos para as enfermarias. A adoção do conceito PPP permite que o processo fisiológico do parto possa evoluir na mais absoluta normalidade, no mesmo local e cama, num ambiente familiar, longe daquele aspecto de uma sala cirúrgica e sem que a mulher precise ser deslocada para outro ambiente.
A preocupação com essa realidade faz parte dos compromissos assumidos pela gestão municipal com o Pacto Nacional de Redução da Mortalidade Materna, explica a diretora geral da maternidade, a médica Francimar Ramos.

0 comentários: