6 de agosto de 2010

Senado aprova obrigatoriedade do teste da orelhinha no País.

O projeto que prevê a obrigatoriedade do exame de emissões evocadas otoacústicas, conhecido como teste da orelhinha, nas maternidades brasileiras foi aprovado no Senado, na quarta-feira, e enviado à sanção do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com a medida, os gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) serão os responsáveis pelo planejamento, organização, fiscalização e orientação dos pais. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, a incidência de crianças com problemas auditivos é de quatro a seis para cada grupo de mil, e no Ceará este índice é 50% maior do que nos países desenvolvidos.
De acordo com o voto do relator do projeto na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Flávio Arns (PSDB-PR), o diagnóstico precoce é apontado como imprescindível para o tratamento mas, no Brasil, a alteração auditiva congênita ainda leva muito tempo para ser diagnosticada, em média de três a quatro anos.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4556642-EI7896,00-Senado+aprova+obrigatoriedade+do+teste+da+orelhinha+no+Pais.html

Para Pensar: Mais uma intervenção com o Recém Nascido? Não seria melhor educar os familiares, na intenção de que eles mesmos detectassem dificuldades auditivas futuras ou que levassem a criança para avaliação em idade mais avançada? Assim como se faz com consulta de pediatra ou com vacinação? Por que não devolver aos pais a tarefa de cuidar e a responsabilidade de agir?

0 comentários: