22 de agosto de 2010

Acupuntura não ajuda a induzir trabalho de parto, diz estudo.

Embora a acupuntura seja promovida como uma maneira de induzir o parto em grávidas que passam da data do nascimento do bebê, um novo estudo questiona a sua utilidade.

Os pesquisadores descobriram que entre 125 mulheres grávidas que passaram da data nascimento, aquelas que foram aleatoriamente submetidas a duas sessões de acupuntura tinham não mais chance de entrar em trabalho de parto nas 24 horas seguintes.
Entre as avaliadas, 12% entrou em trabalho de parto, contra 14% daquelas que foram aleatoriamente submetidas a uma versão "engodo" da acupuntura.
As descobertas, relatadas na revista BJOG obstetrícia, acrescentam à evidência que a acupuntura pode não ser uma forma eficaz de induzir o parto em uma gravidez de pós-termo -aquelas que vão além de 41 semanas.
Cerca de 5% a 10% das mulheres grávidas têm uma gravidez de pós-termo, um atraso que aumenta o risco de complicações durante o parto. Devido a esse risco, os médicos induzem o parto com frequência quando uma gravidez dura além de 41 semanas.
Durante a indução do parto normal, o médico utiliza instrumentos para romper o saco amniótico ou estiramento do colo do útero. A acupuntura tem sido promovida como uma alternativa. Em teoria, pode ser que funcione pelo estímulo do sistema nervoso, que poderia provocar a contração do útero.
Há uma necessidade de alternativas para a indução do parto, disse Niels Uldbjerg, professor de ginecologia e obstetrícia no Hospital Universitário Aarhus, na Dinamarca, e pesquisador do novo estudo.
Muitas mulheres preferem evitar medicamentos durante a gravidez e o parto, e todos os formulários padrão do trabalho de indução aumentam as probabilidades de uma mulher precisar fazer uma cesariana em última instância, observou Uldbjerg.
No entanto, vários ensaios clínicos realizados nos últimos anos não encontraram nenhum benefício da acupuntura para a indução do parto.
"Este estudo demonstra claramente que a acupuntura não é uma alternativa aos métodos padrão de indução do parto", explicou o pesquisador.
A acupuntura tem sido usada por mais de 2.000 anos na medicina chinesa para tratar uma grande variedade de doenças. Segundo a medicina tradicional, os pontos de acupuntura específicos sobre a pele são ligados aos caminhos internos que conduzem a energia e estimular estes pontos com uma agulha fina saudável promove seu fluxo.
Para o estudo, Uldbjerg e seus colegas submeteram aleatoriamente 125 mulheres com gestações em pós-termo à "acupuntura verdadeira" -com agulhas inseridas nos locais, que, segundo a medicina tradicional, estão associados às contrações uterinas e ao trabalho de parto- e a uma "versão simulada" da técnica, utilizando agulhas que não perfuram a pele. Cada mulher recebeu duas sessões em um dia.
Globalmente, o estudo não encontrou nenhuma diferença entre os dois grupos na porcentagem de mulheres que entraram em trabalho de parto após 24 horas. Também não houve diferenças nos outros resultados que os investigadores avaliaram, tais como a dilatação do colo do útero ou, em mulheres que entraram no trabalho, o tempo que levou até o bebê nascer.
"Os resultados são muito claros", disse Uldbjerg. "A acupuntura, como utilizada neste estudo, não induz o parto de pós-termo em mulheres grávidas."
Ele e seus colegas reconhecem, no entanto, que um curso de acupuntura "mais intenso", sem dúvida poderia ter produzido resultados diferentes. Eles também observam que muitos acupunturistas dizem que, para atingir um efeito "ótimo", a terapia deve ser individualizada de pessoa para pessoa.
A gravidez pós-termo é uma das principais razões que levam ao parto induzido. Mas induções também podem ser feitas em circunstâncias em que o feto corre risco de não obter nutrientes suficientes ou oxigênio da placenta; quando a bolsa d'água de uma mulher se rompe antes e o trabalho de parto não começa espontaneamente logo após; ou em alguns casos em que o mãe tem uma condição médica -como diabetes gestacional ou pressão alta- que está colocando em risco sua saúde ou a do bebê.
De acordo com Uldbjerg, a acupuntura tem sido estudada como uma forma de induzir o parto em casos onde a bolsa d'água de uma mulher se rompe precocemente, e os resultados têm sido "inconclusivos, mas sobretudo, negativos". Não é conhecido se a acupuntura pode ser útil em outras circunstâncias.

Fonte: http://www.prontuariodenoticias.com.br/noticias.asp?secao=PE&ID=8736

0 comentários: