13 de julho de 2010

CRESCE NÚMERO DE INDUÇÃO DE PARTO NO BRASIL.

A taxa de nascimentos induzidos dobrou em uma década, nos EUA, segundo os pesquisadores em um artigo no “American Journal of Obstetrics & Gynecology”. Foi constatado um aumento nas chamadas induções eletivas -- quando não há indicação médica precisa, e elas ocorrem por motivos como desconforto da mãe ou conveniências de agenda.


O total de partos induzidos subiu de 14% em 1992 para 27% em 2003, mostram as estatísticas. No mesmo período, aumentaram também os nascimentos antes do final da gravidez. A indução consiste em desencadear contrações uterinas efetivas antes do início espontâneo, com o objetivo de promover a dilatação cervical e a descida da apresentação, em casos selecionados. Nos EUA, os medicamentos são os principais desencadeadores do processo.

Apesar de acontecer com indicação de um ginecologista ou obstetra, a indução não garante um parto normal e pode trazer riscos. Pode haver sofrimento fetal se a saída do bebê é forçada com a passagem fechada. O bebê também pode ter seus batimentos cardíacos acelerados demais ou desacelerados, o que pode levar à morte.

Parto Induzido

Parto Induzido significa parto provocado. Isso geralmente é escolhido pelo obstetra, em situações especificas como por exemplo: gestação prolongada onde a ocorrencia do parto natural não ocorre, doenças fetais, ruptura precoce da bolsa ou doenças maternas. Normalmente o parto induzido é feito através da utilização de duas substancias: oxitocina e prostaglandinas.

http://www.folhaes.com.br/folhaes/noticias.asp?nID=26667

0 comentários: