22 de abril de 2010

Ministério da Saúde discute nova política de defesa e promoção da primeira infância

A estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis prioriza a saúde de mães e crianças de 0 a 5 anos

O Ministério da Saúde promoveu nesta terça-feira (23) a oficina Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis para discutir a estratégia que busca apoiar, articular e fazer acontecer políticas de desenvolvimento integral da criança de 0 a 5 anos. No encontro, especialistas em primeira infância trocaram ideias sobre como garantir o bem-estar físico e emocional dos pequenos. A estratégia consiste de uma série de ações voltadas para as mulheres - gestantes e mães - e para as crianças. O encontro foi coordenado pela pesquisadora da Fiocruz e responsável pelo projeto, Liliane Penello, e pelo assessor especial do Ministério da Saúde, Adson França.

A partir deste ano, um projeto piloto será implantado em cinco cidades brasileiras. Rio Branco, Recife, Campo Grande, Rio de Janeiro e Florianópolis são as primeiras capitais a receber esse tipo de iniciativa. A Estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis foi instituída pela Portaria 2.395, de outubro de 2009, para assegurar cuidado humanizado à saúde das mulheres e dos filhos pequenos em maior grau de desvantagem social. Entre as ações previstas estão: a ampliação na cobertura de pré-natal para mulheres em situação de risco; o incentivo ao parto normal; o estímulo ao aleitamento m aterno; e a promoção de saúde do bebê e da criança de até 5 anos.

Para a psiquiatra Liliane Penello, essa estratégia é fundamental para garantir o direito à saúde de forma ampla - desde o início da vida. "O desafio é estabelecer padrões saudáveis e de qualidade de vida às crianças e às mulheres, estreitando a relação delas e construindo um ambiente acolhedor", afirmou. Ela ressaltou que os cuidados com o desenvolvimento e amadurecimento saudáveis, formam um verdadeiro pilar na construção da cidadania e da democracia.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participou do encerramento da oficina e destacou que a primeira infância é um tema importante para a rede pública. "O desafio é transformar essa estratégia em consciência política, em prioridade de Estado. Para tanto, precisaremos do suporte de outras instituições. O governo é apenas uma delas", afirmou.


Atividades

Durante a oficina, representantes das secretarias de Saúde de Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul apresentaram respectivamente os programas de apoio à primeira infância: Mãe Coruja Pernambucana, Carioquinhas Saudáveis e Primeira Infância Melhor. A partir dos relatos e das vivências dos participantes, foram consideradas ações e diretrizes que poderão fazer parte da estratégia. As políticas do Ministério da Saúde para crianças, adolescentes e para a mulher também foram apresentadas, com ofertas para novas iniciativas no campo.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) serão parceiros na iniciativa. "Qualquer projeto ou plano do governo federal se materializa no âmbito municipal. Por isso é tão importante envolver as prefeituras neste programa", ressaltou o prefeito de Rio Branco e representante da Frente Nacional de Prefeitos, Raimundo Angelim. Também participaram do evento representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Associação Brasileira de Enfermagem , Associação Brasileira de Neuropsiquiatria Infantil, da Rede Nacional Primeira Infância e do Fórum Nacional pela Primeira Infância. 

 *Fonte: SNA

0 comentários: