23 de abril de 2010

Acupuntura pode tratar depressão em grávidas

Em estudo inédito, 63% das gestantes apresentaram melhora nos sintomas.

Tratamento com agulhas pode diminuir dosagens de medicamentos; depressão na gestação atinge mais de 10% das mulheres grávidas

IARA BIDERMAN

A acupuntura é uma opção de tratamento viável para a depressão durante a gravidez, de acordo com um trabalho apresentado no 30º encontro anual da Sociedade de Medicina Materno-Fetal dos Estados Unidos, realizado na primeira semana de fevereiro.

O estudo foi feito pelo departamento de psicologia da Universidade do Arizona e incluiu 150 gestantes com diagnóstico de depressão segundo os critérios do "Manual Diagnóstico e Estatístico de Desordens Mentais 4". A publicação é a referência padrão para estudos, diagnósticos e tratamento de distúrbios psiquiátricos.

As gestantes foram divididas aleatoriamente em três grupos: um tratado com acupuntura específica para a depressão, um com acupuntura "controle" (pontos inespecíficos) e um com sessões de massagem.

Nos grupos de acupuntura específica e "controle", o estudo foi duplo-cego -nem os acupunturistas nem as gestantes sabiam se os pontos onde as agulhas estavam sendo aplicadas eram de fato os recomendados para tratar depressão.

Para isso, as aplicações foram feitas por acupunturistas iniciantes, que receberam prescrições dos pontos onde colocar as agulhas preparadas por acupunturistas veteranos. Obviamente, o grupo que recebeu a massagem não foi "cego".

Foram realizadas 12 sessões dos tratamentos, durante oito semanas. Os sintomas de depressão nas pacientes foram medidos após quatro semanas e no final do tratamento segundo a escala de Hamilton -é também um dos critérios mais usados na psiquiatria para avaliação de depressão.

Os resultados mostraram que 63% das gestantes tratadas com acupuntura específica apresentaram melhora dos sintomas depressivos, contra uma média de 42% nos grupos de controle. Segundo os autores do trabalho, um grupo formado por psiquiatras, psicólogos e acupunturistas, o estudo indica que a acupuntura é um tratamento viável para a depressão durante a gravidez.

Para o psiquiatra Joel Rennó Jr., diretor do grupo de saúde mental da mulher do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, esse tipo de estudo sobre acupuntura e depressão em grávidas é inédito. "Há várias outras pesquisas sobre a acupuntura e a depressão em geral, mas os resultados não são definitivos. Esse [em gestantes] também não é, mas desperta interesse. Embora o grupo pesquisado não seja muito grande, o trabalho é metodologicamente bem realizado, com grupo de controle, duplo-cego etc.", afirma.

Riscos e benefícios

A depressão na gravidez não é tão estudada quanto a pós-parto, mas não é incomum. Segundo Nilson Roberto de Melo, presidente da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), a doença atinge mais de 10% das grávidas. Nos casos moderados e graves, é indicado o uso de algumas classes de remédios antidepressivos, como os inibidores seletivos de recaptação de serotonina.

Embora haja temores que os fármacos possam causar efeitos no feto, Rennó diz que estudos recentes mostram que os benefícios são maiores do que os riscos. "A depressão não tratada tem efeitos deletérios não apenas para mãe. Ela também aumenta a chance de partos prematuros, abortos espontâneos e de o bebê nascer com baixo peso", afirma.

Ele acredita que o trabalho sobre o uso de acupuntura para a depressão na gravidez traz boas perspectivas para o tratamento do problema. Segundo Rennó, os resultados mostraram que, embora não tenha havido remissão completa da depressão, a acupuntura realmente diminuiu os sintomas nas gestantes.

"Mesmo que o tratamento com acupuntura não substitua os medicamentos, ele pode ser uma forma de diminuir as dosagens durante a gestação. Isso já é uma vitória, já que o aumento dos riscos [dos medicamentos] tem relação direta com as doses", diz.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/saude/sd1102201001.htm

0 comentários: